Capitu – 1×01

Publicado: 18 de dezembro de 2008 em Capitu
Tags:, , , , , , , ,

Exibida em 9.12.2008 na Globo

Mais uma micro-série do Projeto Quadrante, idealizada por Luiz Fernando Carvalho, sai do forno. Dessa vez, a obra literária a se portar para a televisão é Dom Casmurro, de Machado de Assis.

São conhecidas no cinema algumas adaptações não bem sucedidas desse livro, especialmente Dom, que contava também com a atriz Maria Fernando Cândido. Dizem alguns que Machado é difícil de se adaptar para a dramaturgia. Acontece que essa versão, mesmo com um sabor moderno, é das mais fiéis ao texto.

A fidelidade (palavra cara a obra) começa pelo fato de não se inventar diálogos na boca dos personagens que não saiam do que está lá escrito nas páginas originais. Juntando isso a presença de Bentinho idoso narrando e participando como uma sombra nos acontecimentos que narra torna a experiência tal qual a conhecemos: tudo o que se sabe, se vê ou se ouve, vem das lembranças de um único ser, portanto impossível saber se uma traição de Capitu ocorreu no mundo real ou não.

A narrativa se dá enfatizando bem cada capítulo do livro, ora exibindo-se um deles ou na fusão de outros. Durante um diálogo ou um gesto, uma cartela surge e evidência o começo de um outro capítulo. E frisando a passagem, uma voz lê o nome do capítulo, sustentando o tom operístico daquelas vidas que se conta.

Como constante nas adaptações feitas por Carvalho a teatrilidade bem acentuada cai como uma luva nas memórias que Bento escreve. A fragmentação dos momentos, o lado onírico, o lado exagerado ou na sutil imensidão do silêncio.

A modernidade se apresenta com pequenas inclusões desse nosso século, como na cena de abertura, onde, ao invés de um bonde, encontramos Dom Casmurro retornando a sua casa a bordo de um atual trem de subúrbio. Na trilha sonora outra evidência do moderno com canções atemporais, que não condizem com o final do século 19 retratado mais combinam com o sentimento que se vê na trama.

O elenco se sai todo coeso com os personagens que representam. Não há um sequer que esteja em posição menor do que foi relatado por Machado.

O destaque nesse primeiro episódio vai para a cena da varanda. Ao invés de um prego riscando o muro a ação foi adaptada para um giz riscando o chão. Como todas as cenas se passaram num único cenário (o velho prédio do Automóvel Clube do Rio de Janeiro) a representação de um dos momentos marcantes de forma tão lúdica contribuiu para mostrar a descoberta do amor entre Capitu e Bentinho.

Nota desse episódio: ****

Expectativa para o próximo episódio: *****

Roteiro:

Direção: Luiz Fernando Carvalho

Episódio Seguinte –>

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s