Damages – 1×01 – Pilot

Publicado: 8 de janeiro de 2009 em Damages
Tags:, , , , , , ,

Exibido em 24.07.2007 na FX

Eis uma das maiores surpresas e êxito de 2007. Advocacia é o tema de muitas séries de sucesso, mas Damages difere por trazer uma alta dose de mistério. Tudo porque a protagonista Patty Hewes, numa ótima interpretação de Glen Close, parece ter mais culpa no cartório que aqueles que ela tenta condenar em júri.

Um dos acertos desse piloto é fazer uso do recurso do flashfoward, que caiu na moda graças a Lost, e torná-lo tão entrelaçado a trama que, se o retirarmos e passássemos a ver em ordem linear, a história perderia o impacto.

Isso porque o flashfoward não explica os fatos, eles os complica ao máximo. A cada nova entrada de uma cena do futuro mais o presente de Patty se complica. Ela passa de uma mulher rígida à um demônio. Uma verdadeira heroína sem caráter.

A linha de história também é muito interessante. Patty se esforça para que seu escritório de advocacia tenha uma nova associada, Ellen Parsons (Rose Byrne). No começo parece que ela vê na jovem uma futura sucessora, acontece que ela nada mais é que um caminho para solucionar um caso que tem se arrastado por três anos.

Ellen tem um vínculo com uma possível testemunha contra Arthur Frobisher (Ted Danson). Por obra do destino ela é cunhada de Katie Connor, que, também por conta do “estar no lugar errado na hora errada” organizou um almoço para o empresário inescrupuloso que passou a perna no fundo de pensão que tinha constituído com seus funcionários. Diz a chefe de cozinha que não sabe de nada e viu menos ainda. Já é um bom gancho imaginar como ela poderá resolver a questão.

Claro que o processo em si não dá ao expectador grandes afeições. Se no começo era a via comum de torcer pela mocinha (Patty) contra o vilão (Frobisher) mas passamos a ter dúvidas sobre ela, cabe ao flashfoward o maior motivo de acompanharmos o desenrolar da trama.

Ellen passa o episodio inteiro detida numa delegacia depois de ter saído andando ensangüentada pelas ruas. Enquanto um casal de policiais investiga o que aconteceu com ela a vemos no passado sendo persuadida por Patty, mesmo tendo sido alerta por um amigo que resistisse a tentação da ambição. Ao final do episódio vem a surpresa maior: Ellen aparentemente matou seu noivo.

Fica a dúvida: foi Ellen mesmo? Patty mandou matar um cachorro (a fofa Alçafrão) para conseguir o que queria, será que ela é capaz de mandar matar um homem também?

Nota desse episódio: *****

Expectativa para o próximo episódio: *****

Roteiro: odd A. Kessler, Glenn Kessler, Daniel Zelman

Direção: Allen Coulter

Audiência:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s