Exibido em 13.02.2009 na Fox

Essa é uma das séries que desperta muito interesse nas estréias do começo de 2009. Um programa sob a responsabilidade de Joss Whedon, autor de Buffy, Angel e Tru Calling, e tendo como protagonista, quem também estrelou esta última, Eliza Dushku.

Dollhouse parte de uma premissa não muito original, embora de grandes possibilidades: homens e mulheres tem memórias implantadas para realizarem atividades que nunca conseguiriam no seu normal. A diferença aqui é que esses implantes (verdadeiras novas personalidades independentes) são apagados após o uso e o receptor volta a ser um boneco vazio. Digamos, um zumbi feliz.

Echo, a protagonista, logo no começo do episódio, então chamada Caroline, assina um contrato de cinco anos com a sua futura chefe, Adelle DeWitt (Olivia Williams). O diálogo das duas é emblemático para a série: ações geram conseqüências, apenas se lembrarmos dela.

Logo em seguida, Echo já está trabalhando. Numa missão nada relacionada à espionagem ou assassinato de um vilão, como é típico desse tipo de história. Ela cumpre uma tarefa bem incomum, sendo a Cinderela virgem de um homem rico que se dá ao luxo de viver três dias num conto de fadas para comemorar seu aniversário. E sim, ela transa também com o “príncipe encantado”.

Essa abordagem diversificada pode levar Dollhouse a tramas variadas e interessantes. Claro, que uma trama de ação tinha que se iniciar. Agora ela é Eleanor Penn, uma mulher especialista na negociação do pagamento de resgate de seqüestrados, no caso, Davina, a filha de 12 anos de um empresário mexicano, Gabriel Crestejo.

Por obra do destino, e bem da série, a Penn acaba topando com um criminoso que também a sequestrou quando tinha a mesma idade. Pelo jeito o seu método de trabalho perdurou por décadas. Se associava a outros criminosos para realizar o sequestro e então os executava, para ficar com o dinheiro; e também com a criança, para praticar abusos sexuais.

Quando o Penn o reconhece a situação se complica e Crestejo acaba baleado e sem a filha. Se dependesse de Dewitt o caso estaria encerrado para não serem pegos por qualquer investigação, afinal a Dollhouse é completamente ilegal e eles devem preservar o Ativo, que é como se referem às pessoas com implantes.

É aí que entra um outro elemento positivo da série. Todo Ativo tem um agente de proteção que a monitora à distância. A de Echo é Boyd Langton (Harry J. Lennix), um ex-policial, que se sensibiliza com o sofrimento da personalidade implantada e bate o pé que ela deve ser ajudada.

A partir desse ponto o episódio desanda um pouco e tudo acontece rápido demais. Fácil demais., em comparação  com a narrativa complicada até então Em pouco mais de duas cenas tudo se resolve. A menina é resgatada, o dinheiro recuperado e até os sequestradores são mortos (por outra Ativo, a Sierra). E fim de papo.

Como não poderia deixar de ser há algo para dar errado em algum momento futuro. Um agente encrenqueiro do FBI, Paul Ballard (Tahmoh Penikett), investiga a lenda da Dollhouse. Ele não mede esforço durantes suas investigações. Será ele o vilão? Ou o herói da mocinha da série? Porque há um homem não identificado ao fim do episódio que envia ao agente uma foto antiga de Echo, ou melhor, da então Caroline. Será o Alpha que Dewitt destaca como problema a se conter?

A série apresenta vários elementos irregulares. DeWitt e seu braço direito, Lawrence Dominic, não passam do modelo clássico de chefões de agência poderosa. Topher Brink, um jovem cientista nerd, faz o lado cômico da série enquanto dá a base de explicações técnicas a toda hora. E o anjo da guarda que já assume papel de bom pai para Echo, só porque tem idade pra isso. Por eles Dollhouse seria apenas mediano, mas a proposta da série e as primeiras aventuras ganham pontos preciosos. E a promessa de melhora está no ar. Mas pode apenas ser um sonho nosso.

Nota desse episódio: ***

Expectativa para o próximo episódio: ***

Roteiro: Joss Whedon

Direção: Joss Whedon

Audiência:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s