Nurse Jackie – 1×04 – School Nurse

Publicado: 1 de julho de 2009 em Nurse Jackie
Tags:, ,

Exibido em 29.06.2009 na Showtime

O que há para aprender nesse mundo? E se é que existe algo de útil, deve-se ser compreendido pelo o que diz as tabelas e regras ou de modo empírico?

Esse episódio de Nurse Jackie atesta que a experiência supera qualquer definição didática sobre as coisas, seja na medicina ou na vida cotidiana. E em se tratando da própria série, na questão de adotar um modelo, pode-se dizer que ela já supera o padrão definido no seu piloto, e com louvor.

Relembrando, o episódio inicial estabelecia uma personagem ambígua, tanto no trabalho quanto na vida pessoal. E, principalmente, tornava Jackie tão santa como diabólica. Com o passar dos episódios vemos que ela não precisa desse modelo formal heróico-vilanesco para se manter no topo da atração para o expectador. As sutilezas da personagen vão se sucedendo e nos dando novas descobertas a cada momento.

A filha de Jackie, Grace, volta como uma linha dramática principal. Aos olhos dos responsáveis por ela na escola seus desenhos com poucas cores são um atestado de uma situação conflitante em seu pensamento. E isso é tanto certo quanto errado. Como defende Jackie, ela pode estar tendo apenas uma visão diferenciada do mundo, portanto, não pode ser condenada, a base de drogas, a ver o que todos vêem.

Grace está crescendo e vendo o mundo através de seu lado menos nobre, assim como Coop, embora este, sendo tão infantilizado como a criança, se divirta com sua evolução médica com um caso vindo da violência urbana, o paciente que recebeu um tiro.

Zoey, por outro lado, tem sua primeira derrota, não valendo de nada tudo o que aprendeu na escola de enfermagem, onde não se ensina sobre o controle emocional ao perder um paciente. Um personagem extremamente cômico também tem seu momento sério, contrariando também um modelo comum de produção de séries.

Por causa dessa necessidade dramática para com Zoey coube a doutora O’Hara alguns momentos engraçados. O seu lado esnobe funcionou muito bem com a mãe pobre e seus filhos gêmeos.

Enquanto que a doutora ainda tem uma linha mais caricata o enfermeiro Momo ganhou um destaque e ficou menos superficial, com sua história sobre ser um sobrevivente de irmãos gêmeos. O conceito por trás da presença de duas histórias de gêmeos nesse episódio é para reforçar que a vida é uma dualidade, entre segui-la pelo caminho do que nos é ensinado ou o que escolhermos descobrir por nós mesmo.

Nota desse episódio: *****

Expectativa para o próximo episódio: *****

Roteiro: Christine Zander

Direção: Steve Buscemi

Audiência:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s