Flashforward – 1×01 – No More Good Days

Publicado: 27 de setembro de 2009 em Flashforward
Tags:, , , , ,

Exibido em 24.09.2009 na ABC

Nada mais aflije o ser humano que saber de seu futuro. Da maneira linear que ele vive (nasce, cresce e morre) saber o seu destino exato pode trazer mais dúvidas do que pensar como será um dia seguinte.

Flashforward tem uma premissa muito simples. A humanidade inteira, por um motivo misterioso, fica sabendo do seu destino: seis meses no futuro. Embora desacordados cada pessoa vive exatos dois minutos e dezessete segundos do que virá, no dia 29 de abril de 2010. E a força dessa série se dá porque deixa claro, e sem rodeios, que cada um tem uma visão diferente para o futuro.

A visão aqui, claro, não é de um futuro diferente. O roteiro também faz um teste entre duas pessoas para constatar que se as tais visões são idênticas para elas. O que difere é que para cada um a vida vindoura tem uma interpretação de sentimentos. Alguns sentem a felicidade e outros o temor. Há uma tensão clara no ar: os personagens são antagônicos no que viram.

Sendo uma série também de ação é natural que um grupo de personagens inicie a investigação desse incidente temporal. Os criadores e produtores David S. Goyer & Brannon Braga tanto optam pela obviedade de uma instituição federal iniciar as investigações, no caso o FBI, quanto colocam alguns personagens comuns para ilustrar o lado humano dessa questão e que, talvez, tenham mais ligações em tudo.

Mark Benford (Joseph Fiennes) e Demetri Noh (John Cho) são pegos pelo evento, uma inconsciência coletiva, durante uma tocaia a terroristas. Será que os flahsforwards são frutos de terrorismo? Pouco provável. Talvez um cientista louco, embora a série não se chame Fringe.

Ok, não há como não lembrar de Lost, primeiro por uma situação misteriosa e depois por seguir a vertente dos flashes temporais. Mas a semelhança para por aí, pois aqui tudo acontece para o planeta inteiro e não numa isolada ilha e, com certeza, numa maior diferenciação, as pessoas trocam informações vitais logo de cara e não realimentam as incertezas e os mistérios em si.

Se a ABC pretende com Flashforward encontrar um substituto a altura de Lost pelo menos começou de uma forma bem competente. O piloto é muito bem feito tanto no roteiro como na direção. Os personagens são bem construídos e apresentados; e as situações em que se encontram funcionam, das cenas de ação ao cotidiano. E o gancho para o episódio seguinte, mesmo de aparição mágica, é ótimo.

Nota desse episódio: *****
Expectativa para o próximo episódio: *****

Roteiro: David S. Goyer & Brannon Braga
Direção: David S. Goyer

Audiência:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s