24 Horas – 8×03 – Day 8: 06:00 AM – 07:00 PM

Publicado: 21 de janeiro de 2010 em 24 Horas
Tags:

Exibido em 18.01.2010 na Fox

Problemas começam para Jack Bauer nessa terceira parte do quarteto de episódios que abre o oitavo dia. Convenhamos, até o momento, ele não passou por dificuldade alguma, pois aqueles dois inimigos que ele abateu na primeira hora é coisa pequena para o que já enfrentou antes, em outros dias.

Isso porque há um sinal dos tempos em 24 Horas. A série já sofreu pressão de muitos conservadores ao se valer (e abusar) de cenas de torturas como modus operantis de seu personagem principal. E vejam só, agora presenciamos Jack querendo uma informação e tranquilamente tirando 100 dólares da carteira para obtê-la, sem ao menos uma expressão ameaçadora no semblante.

Numa boa sacada da trama é Bauer que cai no jogo fácil da tortura irracional. O que a torna o ponto alto do episódio e um indício que a série entra no seu caminho único. Deixando bem claro que o bom da série não é a violência, mas sim, a urgência de ações serem interrompidas por contratempos do cotidiano ou atos dos inimigos.

Também é interessante à série a CTU ser comandada por um incompetente e seus auxiliares praticamente terem a mesma postura cega na procura de pistas. Quem poderia imaginar que a agência seria cometeria erros tão primários.

Uma linha de história que avança e ao mesmo tempo ainda não diz nada é o misterioso Kevin que perturba a vida da agente Walsh. Parece certo que é algo para ser desenvolvido para o restante da temporada, pois não há perigo algum em relação a terrorismos.

Embora o episódio ofereça um crescimento para Jack ele afunda a importância da presidente Taylor, que tem tão poucas falas que perde para muitos outros personagens que claramente são de apoio. Mudanças sempre são bem-vindas, ou melhor, evoluções, numa série, mas não há como não encarar que pela primeira vez em 24 Horas o vínculo Bauer/presidência não estará garantido.

Outro ponto que deixa claro essa não conexão é que a história do presidente Hassan ganha força com a investigação da CTU sobre a repórter Meredith Reed (Jennifer Westfeldt). Ou seja, se temos com quem nos importarmos é com o mandatário do Kamistão, e o que essa relação extra-conjugal afeta a esposa e filha.

Uma leve inconsistência do roteiro é Hastings continuar a acreditar que a repórter esta mentindo mesmo sendo óbvio que o monitoramento passaria a indicar que ela está dizendo a verdade sobre o caso com Hassan. Para piorar Chloe ainda argumenta se valendo do momento da inconsistência quando a investigada ainda escondia o fato. Traduzindo, vamos fingir que a máquina não está ali com a prova cabal e vamos ligar para o presidente só para ficar mais emocionante na telinha. Típico.

Nota desse episódio: ***

Expectativa para o próximo episódio: *****

Roteiro: David Fury & Alex Gansa

Direção: Milan Cheylov

Audiência:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s