Posts com Tag ‘3D’

Exibido em 06.03.2009 na Cartoon Network

A segunda parte desta trilogia que prepara o fechamento da temporada não tem o mesmo pique da anterior, seja em ação ou até na proposta. O ritmo mais lento, porém, serve para valorizar os sempre presentes clones.

Quase sempre que surge uma discussão do cotidiano da guerra eis que um grupo de clones está presente. Para os Jedis e quaisquer outros o conflito apenas está lá, e a questão é se foi resolvido ou não, fugindo das causas e efeitos imediatos. (mais…)

Anúncios

Exibido em 27.02.2009 no Cartoon Network

Entramos na reta final da temporada com a primeira parte de uma trilogia bem agitada. Se os próximos episódios tiverem esse mesmo pique estará ótimo. A seguir ainda haverá um outro episódio, provavelmente solo ou que terá um belo gancho para se concluir no início da temporada seguinte.

Depois de uma semana de pausa da atração é bom retornar com um episódio de bastante ação e também recheado, muito bem recheado, de estratégia para com os combates travados. É uma aventura de guerra, bem conduzida. (mais…)

Exibido em 13.02.2009 no Cartoon Network

Num bom presente de Valentine’s Day para os fãs, esse episódio foi exibido logo em seguida do anterior, constituindo uma boa continuação da trama relacionada ao vírus Sombra Azul.

Isso nos faz lembrar que a série tem a capacidade de apresentar uma história para um show de uma hora com facilidade. Além do lado técnico evidente da LucasFilm Animation também há o costume de desenvolver arcos de histórias com dois ou três episódios. Só para lembrar, destes 21 episódios (incluindo os três do filme no cinema) apenas quatro foram episódios solos. (mais…)

Exibido em 13.02.2009 no Cartoon Network

Para início de conversa, se você espera pela continuação do episódio anterior, esqueça. Sem maiores explicações, tanto lá como aqui, The Hidden Enemy é de fato um material descartado daquele conjunto de episódios que formaram um longa-metragem e foi para o cinema, constituindo, pois, o prólogo do mesmo.

Agora que a raiva provocada pela pegadinha passou, vamos a esse episódio. A primeira coisa que chama a atenção é que ele retorna a um lugar bem conhecido, Naboo. Droids separatistas são encontrados no planeta e teme-se um novo ataque, como visto no Episode I. (mais…)

Exibido em 06.02.2009 no Cartoon Network

Após manter um alto nível de histórias nos recentes episódios a série apresenta uma grande queda. A trama aqui apresentada volta ao tema do traidor, sem apresentar algo novo e sem empolgar muito, o que seria uma boa compensação com as cenas de ação.

Relembrando, tivemos traidores tanto humano, embora no caso fosse um humano não-clone, quanto droids, estes em até maior número, porque é mais fácil corromper uma máquina que seres inteligentes. Ainda mais numa série que salpica toques moralistas em muitos momentos. (mais…)

Exibido em 30.01.2009 no Cartoon Network

Novamente a guerra em si é questionada. Dessa vez fazendo uso de uma outra guerra, ou melhor, uma guerra particular, longe das questões republicanas ou separatistas.

Quando se chega a tal ponto não é necessário se valer dos vilões costumeiros da série, caindo no maniqueísmo do bem e do mal. O mal se manifesta em ambos os lados conflitantes, vindo apenas da atitude de se estar praticando o bem maior, ou seja, a manutenção da paz. (mais…)

Exibido em 23.01.2009 no Cartoon Network

Esta direta continuação do episódio anterior traz um pouco mais da discussão sobre a guerra. Numa série que até então tratava o conflito simplesmente como o bem contra o mal alguns questionamentos que aparecem aqui a tornam muita mais madura do que poderíamos supor para um produto focado no público infanto-juvenil.

No remoto planeta Maridun os Jedis continuam isolados e não bem recebidos pelos Lurmens, ao menos pelo seu líder Tee Watt Kaa, que, convicto nas tradições de sua espécie, toda e qualquer atitude em prol da violência é um erro. (mais…)

Exibido em 16.01.2009 no Cartoon Network

A abertura desse episódio lembra de certo modo a do Episódio III. Uma situação de pesada batalha na atmosfera de um planeta. Visualmente é muito interessante, pois a ação ocorre acima das nuvens.

Sempre é bom descobrir que mesmo sendo uma animação semanal ainda é possível vermos sequências bem executadas, se não com a mesma qualidade dos longas mas com o mesmo cuidado nos enquadramentos, trilha sonora e ritmo da narrativa. (mais…)

Exibido em 09.01.2009 no Cartoon Network

Como era de se esperar Jar Jar Binks participa ativamente do episódio para fazer aquele tipo de graça própria (também conhecido como sem-muita-graça). Por sorte, Anakin e Obi-Wan também recebem destaque, ficando um conjunto de cenas equilibradas.

Contrariando o que esperávamos do episódio anterior eles acabaram dopados com as bebidas. O que deu a entender é que os piratas foram mais espertos do que eles e já previam que os copos com sonífero seriam trocados. Uma situação potencialmente perigosa? Não. (mais…)

Exibido em 02.01.2009 no Cartoon Network

Depois de uma pausa de três semanas esse novo episódio começa como se tivéssemos perdido algum no caminho. Anakin foi capturado pelo Conde Dooku. Assim relata a narração de abertura. E seu mestre, Ob-Wan, parte em resgate até uma fragata Separatista. Não é bem explicado, mas ele se aproxima da nave usando um traje espacial. Algo inédito.

Ok, mais um resgate. Isso é repetido. Se somarmos todos os que já aconteceram em meros onze episódios e mais três juntados para o episódio-piloto já poderíamos achar que essa premissa cansou. Ocorre que “resgate” é um elemento clássico da série, portanto, ainda haverá dezenas deles nos noventa e poucos restantes episódios. (mais…)

Exibido em 12.12.2008 no Cartoon Network

O arco de histórias em torno de Gute Gunray acaba quase sem sua presença, servindo apenas de isca, numa trama elaborada por Conde Dooku. Acontece que o grande vilão, assim como no episódio passado, está pondo seus comandados a duras provas de êxito.

O testado dessa vez é o General Grievous, esse sim o dono do episódio. Grievous também falhou em missões anteriores e já está mais do que hora de mostrar o que sabe fazer (e mais gosta de se ocupar), que é eliminar Jedis pelos cantos do universo.

Mestre Kit Fisto chega ao sistema Vassek no rastro de Grievous, assim como seu antigo padawan, Nahdar Vebb, agora um cavaleiro Jedi. O encontro dos dois é o outro mote do episódio. Depois de tempos sem se encontrarem o novo Jedi parece não ter aprendido todas as lições de seu antigo mestre, sendo muito afoito nas atitudes e com o mau hábito de usar a força a todo instante.

Dentro do covil de Grievous descobrimos um pouco de seu passado. Ele era um guerreiro imbatível e venerado que decidiu receber cada vez mais implantes droids para se tornar mais poderoso. Assim como os implantes o fazem se sentir invencível o é também para Nahdar com o uso da força. Na luta entre os dois sai vitorioso o guerreiro que, no meio de um embate de sabres-de-luz, faz uso de uma trivial arma para vencer. Uma ironia do roteiro desse episódio, porque é justamente assim o seu fim lá na seqüência cronológica da série nos cinemas com o Episódio III.

Nessas referências aos episódios dos cinemas essa série animada às vezes se mostra menos original, mas é sempre aprazível encontrá-las no meio de alguma cena. Uma novidade é o médico droid. A personalidade dele é desenvolvida em várias cenas Insolente, não tem receio de dizer ao seu mestre que acabou ficando avariado por não lutar com competência. Noutro momento é interessante ele se deliciar com os confrontos enquanto os assiste por um monitor.

O episódio oferece uma boa locação com o covil, seus vários corredores e portas de contenção dão um ar de video game. Inclusive com elementos de puzzle como na senha para abrir a porta da sala central e num “chefe de fase” com o monstrinho Gore, que parecia um bicho de muita estimação de Grievous.

No geral, o único defeito é que não há empatia com Nahdar e se perde o choque de sua morte, esvaziando a trama proposta. Duas coisas para se anotar nas estatísticas: a primeira vez que o General Grievous não sai fugindo. Ele se sai vitorioso e ganha pontos com conde Dooku. A segunda que temos o primeiro confronto com ele usando quatro sabres.

Nota desse episódio: ****

Expectativa para o próximo: *****

Roteiro:

Direção: Atsushi Takeuchi

Audiência:

Exibido em 5.12.2008 no Cartoon Network

Numa continuação dos eventos do episódio anterior temos o resgate de Vice-Rei Nute Gunray. Pela segunda vez consecutiva, Anakin não protagoniza a atração, embora sua padawan dê as caras ao lado de outro mestre Jedi, no caso, a Luminara Unduli.

Não deixa de ser estranho Ahsoka, longe de seu mestre, cumprir uma missão com outro Jedi. O motivo obviamente é não termos um confronto entre Skywalker e Ventress. O tira-teima entre eles parece que será deixado para um momento mais oportuno Quem sabe num final de temporada da série. É a segunda vez que isso é evitado, a primeira foi no episódio-piloto na invasão do monastério, onde Kenobi lutou contra a vilã.

O importante é que o trio Ahsoka, Luminara e Asajj proporciona várias seqüências de ação ininterrupta. O acabamento é digno dos longas metragens. Uma luta com sabre-de-luz entre dois Jedis e um Sith sempre tem uma coreografia eletrizante onde torcemos para um sabre não passar um milímetro sequer para lá ou para cá.

Num episódio onde as mulheres dão toda a graça cabe aos homens as surpresas. Um interessante tema é colocado ao ilustrar a importância do livre arbítrio. Aos clones cabem seguir suas ordens até o fim de cada uma de suas vidas sem questionamentos, ficando apenas aos homens únicos (os não clonados) a possibilidade de escolher um caminho diferente. No caso, a variante se dá pela materialidade, ganhar riquezas.

Nute Gunray tenta subornar os clones mas eles se mostram fiéis as suas causas, ou suas programações, como o Comandante Gree. Quando surgem os Comandos do Senado descobrimos que um deles, o capitão Argyus, do cruzador Jedi Tranqüilidade, estava acordado com os interesses de Conde Dooku, que não confiou apenas em Asajj Ventress para o sucesso na missão de resgatar o Vice-Rei.

Ao final fica a deixa que Mestre Kit Fisto está no encalço de Nute Gunray, o que torna mais ou menos claro que esse arco de história sobre o Vice-Rei ainda renderá mais um episódio. Se for tão bom quanto este e fugindo do inicial com o Jar-Jar tudo estará perfeito.

Nota desse episódio: *****

Expectativa para o próximo: *****

Roteiro:

Direção:

Audiência:

Exibido em 21.11.2008 no Cartoon Network

Jar Jar Binks um jedi? Que a Força esteja com o universo!!!

O que podemos esperar de um episódio protagonizado por Jar Jar? Claro, um tom de comédia voltado apenas para crianças. E é o que o episódio entrega.

O interessante é a comparação entre C3-PO e Jar Jar Binks. Enquanto o primeiro exibe uma graça por seu notório medo por qualquer coisa ou no seu jeito formal de falar o segundo não passa de uma adolescente desastrado. Sem dúvida a personalidade de Binks foi o maior erro da trilogia prequel.

Co-estrelando esse episódio temos Amídala. Há uma certa repetição no padrão das tramas dela. Mais uma vez ela quer fazer diplomacia da forma mais desprotegida possível em tempos de guerra.

Por causa da traição de um amigo de sua família, tio Ono (Onaconda Farr), do planeta Rodia, Padmé acaba prisioneira na torre de detenção mais alta possível, configurando um típico conto-de-fadas (outro tom infantil aqui apresentado). Na falta do príncipe Anakin para salvá-la ficamos apenas com seu manto Jedi, que C3-PO e Jar Jar não fazem a mínima idéia porque está deixado num armário da nave da senadora de Naboo.

O que se vê a seguir é Jar Jar destruir tudo o que consegue com sua falta de controle de seus membros motores. Já com sua extrema inteligência ele tem a brilhante idéia de usar o manto para não ser reconhecido e, por isso, é confundido com um Jedi, numa situação para lá de forçada do roteiro.

No quesito esquisitices aparece um dróide caranguejo!! Como também um monstro lesma que faz amizade com Jar Jar e o ajuda a derrotar o pelotão de dróides de combates.

O ponto útil desse episódio é que o Vice-Rei Nute Gunray, que tentava obter apoio de Rodia, torna-se prisioneiro da República. No mínimo teremos já no próximo episódio uma ação de resgate por parte dos Separatistas. É uma boa promessa de ação.

Nota desse episódio: **

Expectativa para o próximo: *****

Roteiro: Kevin Rubio

Direção: Jesse Yeh

Audiência:

Exibido em 14.11.2008 no Cartoon Network

Essa conclusão de arco de história se mostrou muito superior a parte inicial. Num ritmo de ação pura o episódio foi empolgante. Star Wars sempre se sai bem nas seqüências de resgates.

A surpresa da vez foi descobrir que o atrapalhado R3-S9 na verdade é um X9 competente. Graças as tradicionais gracinhas em cima dos dróides em geral os erros propositais dessa unidade R3 passaram desapercebidas até o momento da revelação, tanto nesse quanto no episódio anterior. Se bem que o título do episódio é um belo spoiler.

Dessa vez nada de batalhas espaciais. É no interior de uma Esfera de Batalha Separatista, uma estação de escuta, que ocorrem as melhores cenas. No lado externo apenas uma boa cena quando eles pulam de uma nave (a Crepúsculo) para o teto da Esfera. É um pouco forçado Anakin e Ahsoka caírem de uma altura tão grande e ficarem ilesos, mas eles são jedis, ora. Os clones usam os retrofoguetes para não se esborracharem, tornando-se uma grata referência ao Boba Fett.

Ahsoka se encontra pela primeira vez com Grievous e se sai muito bem numa rápida cena de duelo com os sabres-de-luz. O melhor do encontro entre os dois fica para uma cena dentro de um depósito com armários vazados cheios de peças de dróides. No ambiente apertado a pequenina se livra do grandalhão vilão apenas passando por entre os vãos dos armários.

Claro que não falta um momento de cerco a Anakin e poucos (adivinha, três) clones onde sobram tiros para todos os lados e ninguém se machuca. E olha que são aqueles dróides mais parrudos, os B2 super droids, e alguns droíde/nave, que também possuem fogo pesado. É nessa hora que os explosivos são detonados e a Esfera perde a estabilidade de sua posição estacionária na estratosfera da lua em que se encontra.

Enquanto a esfera desaba temos o confronto entre R2-D2 e R3-S6. É interessante ver dois dróides de navegação brigando. Eles não foram projetados para isso e se viram como podem, com os ganchos e serras, expelindo óleo ou dando descargas elétricas, e no retcon-clássico retrofoguetes.

Ah, mais uma vez o General Grievous escapa antes da casa cair.

Nota desse episódio: *****

Expectativa para o próximo: *****

Roteiro: Kevin Campbell e Henry Gilroy

Direção: Rob Coleman

Audiência:

Exibido em 07.11.2008 no Cartoon Network

Esse é a primeira parte de um arco de dois episódios. E bem que poderia ser o último porque também é o mais fraco episódio e trama apresentada até agora.

Claro, não dá para esquecer que proteger R2-D2 e seu conteúdo de informações era o mote da primeira metade do episódio IV, já que nele havia a planta da primeira Estrela da Morte.

O problema do episódio é que ele é insosso e não rende. Existem nele boas cenas de batalha espacial mas elas soam forçadas, principalmente a primeira nos anéis planetários de Bothawui. O General Grievous com sua frota no meio dos asteróides não convence como estratégia vencedora. Não há motivos para não ser detectado antes de entrar no campo de asteróides e poder chegar na surdina, sendo que a distância entre eles era visual, ele não veio do hiper-espaço e entrou em seguida.

O fato de Anakin ter sacado antecipadamente que ele poderia fazer tal estupidez e já estar com tropas colocadas em alguns asteróides torna o jogo narrativo mais difícil de acreditar. Nem com o mais alto sono premonitório de um Jedi ele conseguiria prever isso.

Na outra batalha, que Anakin está sozinho a bordo de seu caça e enfrenta as naves Separatistas, mostrasse mais uma vez o grau de exagero desse episódio. Alguns míseros disparos dos canhões já seriam suficiente para pulverizar a navezinha, no entanto, ela não é atingida mesmo com o atrapalhado R3-S6 complicando a situação.

A bordo da nave de Gha Nachkt o embate com o os droids assassinos (modelo IG-88) foi assustadoramente sem graça. De visual raquítico e empunhando uma simples arma como podem assassinar uma jedi ou uma padawan? No universo expandido eles devem ser temidos mas aqui ficaram devendo emoção.

Para piorar tudo a trilha sonora original nos brindou, em vários momentos, com um pancadão de pista de dança em vez das tradicionais e competentes músicas orquestradas da cine-série. Coisa mais estranha é impossível.

Quem sabe tudo melhorará na conclusão do arco. Que a Força esteja com vocês.

Nota desse episódio: **

Expectativa para o próximo: *****

Roteiro: George Krstic

Direção: Rob Coleman

Audiência: