Posts com Tag ‘MPB’

Exibido em 16.01.2009 na Globo

Em pleno episódio final, repetecos. Logo que acaba o “cenas do capítulo anterior” aparece um flashback com André Matarazzo. Essa insistência em sempre mostrar o casal num diálogo que não acrescenta nada desgastou a minissérie por completo.

Após ingerir um frasco de medicamento Maysa é hospitalizada por Miguel. E não demora ela já sai de lá maldizendo a todos que se preocupam com ela.  Tanto a personagem como a série comentem erros e não os admite. …Continue lendo…

Anúncios

Exibido em 09.01.2009 na Globo

Dando lugar a leveza do episódio anterior Maysa começa a enveredar para a parte mais sombria de sua vida. Que vai do consumo excessivo de álcool, resultando não mais em simples barracos habituais até a consciência definitiva que ninguém a ama da maneira que gostaria. O amor mútuo.

Em termos de duração esse episódio é o recordista com meros trinta minutos de duração. Mesmo curto ele aparenta ser um dos mais arrastados, pela falta de originalidade nas cenas. Casal viaja e a mulher descobre que o homem que diz que a ama na verdade não se separou da companheira anterior. Com direito ao típico ouvir de juras de amor pela extensão do telefone. Já viu isso em algum lugar? …Continue lendo…

Exibido em 08.01.2009 na Globo

Depois de ter deixado de lado a relação com Boscoli no último episódio, Maysa (a personagem e a série) ataca o jornalista/compositor, sem dar chance dele escapar. O episódio também tem uma curta duração e é um dos mais leves e engraçados. Bem distante daquele lado depressivo sempre em destaque.

Os poucos momentos onde Maysa passa por alguma tristeza é quando se ressente que seu filho está aparentemente feliz com a madrasta. Quando isso acontece não falta aquela melancólica cena clássica de ir embora a bordo de um carro e torcer o pescoço para trás enquanto fixa o olhar no seu rebento.a href=”http://imantado.com.br/series-de-tv/globo/maysa-%e2%80%93-quando-fala-o-coracao-1×04/” title=”Esse conteúdo já foi transferido para o Imantado. Basta clicar.” target=”_blank”> …Continue lendo…

Exibido em 07.01.2009 na Globo

Neste terceiro episódio o tempo presente da narrativa da mini-séire se firma como o da época da separação com André Matarazzo, com isso, os flashbacks aparecem pontuando e realçando um pensamento que passa pela cabeça de Maysa.

Deixando um pouco de lado o flerte iniciado no episódio anterior, Boscoli acaba não dando muito as caras, embora apareça em alguns momentos. Numa cena solo procura-se frisar que ele tem um compromisso sério com sua então namorada e todo seu interesse em Maysa é puro desenvolvimento profissional com uma artista de projeção em todo Brasil.

…Continue lendo…

Exibido em 06.01.2009 na Globo

Agora com um episódio de bem menor duração as idas e vindas no tempo diminuem de forma considerável, basicamente se concentrando em dois momentos ou dois amores: André Matarazzo ou Ronaldo Boscoli (Mateus Solano).

Diante da esposa dentro do aparelho de televisão André suporta o desprezo de Amélia (Denise Weinberg), sua mãe quatrocentona. A metáfora que a cantora é um mero objeto de enfeite para a família fica evidente, embora André até admita que Maysa cante para os amigos, sua mãe, mais radical, a vê como algo que invade a casa e impõe valores impróprios aqueles que prezam os bons costumes. …Continue lendo…

Exibido em 05.01.2009 na Globo

Uma das piores frases equivocadas que se ouve por aí é “Sua vida daria um filme”. Nem toda vida dá um filme. O problema é que contar uma vida inteira estraga qualquer filme. O ideal é contar um pedaço dela. Isso sim deveria ser dito: momentos de uma vida dariam um filme.

Jayme Monjardim, diretor da mini-série e filho único de Maysa, já havia feito uma cine-biografia (Olga, em 2004) e não tinha se saído bem. Era um filme arrastado e muito televisivo nos seus excessivos closes. Agora, com a tarefa complicada de homenagear a própria mãe, não há muita evolução. …Continue lendo…